Blógico!

Pensamento, cultura, artes, boas notícias

Pão nosso

Ouvi o presidente da EMI Brasil falando sobre venda de música em formatos alternativos, em entrevista à Band News FM. O entrevistador parecia um tanto “adestrado”, o tema pirataria não foi abordado explicitamente. Sobre os “formatos alternativos” subentendia-se cópias pela internet, logo sub-subentendia-se cópias piratas. A EMI parece estar passando por uma reformulação que vai das diretrizes e objetivos aos formatos de escolha e contratação de talentos, e lógico que não podia passar o tema “Poxa, e agora como vai ser se todo mundo pode baixar a música ao invés de comprar…” As discussões em torno desse tema são banhadas em hipocrisia atuaçlmente, porque as gravadoras dizem que “perdem milhões por ano”, apesar de não estarem em franca decadência, e afinal estamos na época em que mais se ouve música na história!

Apela-se para o direito do artista de viver do seu trabalho, para o não-pagamento de impostos dos conteúdos vendidos no paralelo…

Primeiramente, a ilusão deste termo “todo mundo” é uma armadilha: apenas 5% da população mundial tem acesso à Internet (viu? você faz parte de uma elite!), enquanto que metade da população nunca fez uma ligação de telefone ! Antes de dizer que a internet democratiza e é uma maravilha, pensemos nos outros 95% de excluídos.

A internet democratiza sim e é mesmo uma maravilha, mas está longe de atingir seu potencial de agregação das massas (ai, falar bonito enxe o saco, ainda bem que ninguém lê este blog!)

Então não é “todo mundo” que pode hoje baixar música, e os preços dos CDs e DVDs continuam num patamar cxonsiderado intocável pela indústria, enquanto vemos o barateamento e surgimento de novas formas de reprodução a cada dia.

Senhores “donos da voz”, enquanto mantivemrem-se congelados em seus trinta reais por disco, lamento dizer que continuarão a ver a massa de gente que adora música e não tem como compra-la a este preço copiando, baixando, comprando no camelo, tirando d eum pen-drive para outro…

Então vem o apelo: então o artista não poderá mais ganhar seu pão com a arte que faz?

Quem sou eu pra responder… mas se pudesse arriscar, diria que sim, o artisva vai poder continuar ganhando seu pão (acho até que um número crescente de artistas, graças à democratização nos meios de produção, reprodução, disseminação e divulgação). O que não vai dar mais é pra meia dúzia ficarem milhioários com o ganha-pão de artistas que antes não tinham acesso a estrutura de gravação e distribuição.

Agora há mais poder nas mãos dos artistas do que nunca houve. Façam bom proveito dele!

Anúncios

20-01-08 - Posted by | Crônica geral

Nenhum comentário ainda.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: