Blógico!

Pensamento, cultura, artes, boas notícias

Estaremos confundindo

Atendente recém-contratado, depois de passar pelo treinamento intensivo.

Os esforços das empresas para manterem-se epróximas de seus consumidores, tornando suas vidas fáaceis e agradáveis, parece não ter chegado ao atendimento ao cliente, se é que têm saído do papel…

Enquanto as operadoras de telefonia celular disputam o primeiro lugar nos rankings de reclamações, ninguém respeita a recente lei do teleatendimento e ao que parece os procedimentos são pensados para livrar a empresa da ira do cliente, e não para saná-la.

Gasta-se muito para desenvolver sistemas de reconhecimento de voz capazes de interagir com o cliente, mas com que proposito? Oferecer melhor e mais rapido atendimento? Não: poupar gastos com pessoal. Muito já se gastou em pesquisa e desenvolvimento para fazer cojm que a máquina pareça humana…Por outro lado os treinamentos dos atendentes (por enquanto) humanos estabelece um roteiro de procedimentos, de modo que qualquer coisa fora desse roteiro extrapola as capacidades de decisão do atendente.

Gasta-se com as máquinas para fazê-las parecer humanas, e gasta-se com as pessoas para fazê-las agir como máquina. Como pode dar certo?

Pbl.

Anúncios

18-11-10 Posted by | Comunicação e design, Denúncia, Desabafo | , , , | Deixe um comentário

Se é Bayer é BUM !

Porque será que não saiu no Jornal Nacional ???

 Durante o 23º Congresso de Entomologia (ciência que estuda os insetos), realizado no final de setembro em Natal (RN), estudantes e artistas fizeram um excelente protesto em frente ao stand da Bayer. A criativa militância conseguiu chamar atenção de cientistas e estudantes que circulavam.

O protesto foi filmado e devidamente youtubado, vale a pena conferir como a militância oplítica está presente e, o que é melhor, renovando-se no país.

São meia dúzia de esclarescidos no meio da multidão indiferente? Sim, mas hoje contam com a INTERNET !!!

Veja, depois informe-se… Então comente e participe. Se morrerem nossas consciências, o que restará?

Para se informar:

Pesqwuise por “Bayer abelhas”

Trangêncos no site do Greenpeace

“Transgenic crops” no Google Acadêmico

O MUNDO SEGUNDO A MONSANTO
vídeo completo no Youtube

Pbl.

 

 

11-11-10 Posted by | Ciência e Tecnologia, Denúncia, política | , , , , , | Deixe um comentário

Oásis da imprensa

Ainda sobre a CONFECOM e as comunicações no Brasil, um oásis de imprensa livre está fazzendo uma cobertura especial.

O Observatório do direito à comunicação preparou um BLOG especial para fazer a cobertura do evento. Quanto à Globo… Nunca tive esperanças de que ela mudasse seus padrões editoriais só pra fazer o mundo ficar melhor e mais justo, imagina se isso justificaria tal investimento e risco…

De fato, após consultar ao Dudu Azevedo, que trabalha com comunicação e movimentos populares,  vídeo e redes solidárias, fiquei mais esclarescido: O Jornal Nacional não divulga a Confecom justamente porque ela É relevante e porque toca diretamente na hegemonia das grandes redes de TV e rádio, uma vez que discute os movimentos de comunicação alternativa, independente e popular que surgem por toda parte, graças à democratização dos meios de produção e difusão midiática, a saber Internet e mídias digitais.

Nas palavras de Ddu Azeveddo:

“Temos que aprender a ler jornal de trás para frente (…) e ainda adivinhar o que eles não estão falando e que, portanto, deve ser importante.”

Acusam a Confecom de querer amordaçar as grandes empresas de comunicação.  Amordaçar a grande imprensa é impossível: ela já é dona do Brasil.  Não creio que essa seja uma pretensão séria, nem da esquerda mais babaca do país..

O que me parece ser desejável para muitos que foram à conferência é que o maior número de instituições representativas de brasileiros possam se posicionar através de meios de comunicação, como TVs públicas, rádios comunitárias, jornais de papel e jornais virtuais etc.  Mas o que eles temem é que já sabem que se isso for possível agora, serão prejudicados no futuro quando os atuais midialivristas começarem a ganhar grandes contingentes da população para suas mídias alternativas.  Aí essas mídias já não serão alternativas mas sim novas mídias verossímeis.”

Se você quiser receber o boletim do Dudu Azeverdo por email, escreva para lfdudu.azevedo@yahoo.com.br pedindo a inclusão do seu nome.

Pbl.

No Próximo post: A comunicação independente do Cultura Nativa e a revolução safra-a-safra

16-12-09 Posted by | Comunicação e design, Denúncia, Entrevista, política | , , , , | Deixe um comentário

Amado até os dentes

Luz, câmera, inação !!!
Bangue-bangue de ambos os lados
Na terceira fila, enfileirados,
Cidadãos e bandidos armados.

Não dão as mãos
Ainda não
Mas no escurinho da emoção
O bandido se espreguiça
Estica o braço
E seduz com nós de aço
O pacato cidadão

Sua arma intimida
Seu dinheiro compra a vida
Tem um “q” de meliante
E um P livre – de Paixão
Já desce a mão, o ardiloso bandido
E sem pudor nem estampido
Acaricia o cidadão

E este, agora petrificado
Já vê que o bandido
Amado e armado
Cobra o preço da situação

Nós amamos os bandidos. A contravenção exerce na cultura brasileira um papel de amor proibido, desde muito alimentado.

Á eleg6ancia do malandro carioca: sedução pela contravenção

Á eleg6ancia do malandro carioca

Nas primeiras décadas do século passado o malandro tinha seu charme; Alguns anos depois o bandido de morro (já totalmente descaracterizado e sem referências, tornado o bandido que assalta e atira) foi tido como resistente e mesmo herói por muitos setores da esquerda, durante a ditadura militar; A famosa “lei de Gerson” foi proferida e aplicada com orgulho por muitos deste país que achavam (e ainda acham) que o certo é querer levar vantagem em tudo; o político que “rouba mas faz” sempre conseguiu se reeleger (inclusive muitos que roubam e nada fazem); hoje, meninas da classe média se seduzem pelos fuzis ostentados nas bocas de fumo enquanto funks proibidos de apologia ao crime circulam nos celulares e I-Pods da Barra da Tijuca; em meio a tudo isso, as armas sempre foram vangloriadas pelo cinema norte-americano, estando presente nas mãos dos mocinhos para quem tanto torcemos.

Não me admira que a violência, tendo sido tida como dogma, exploda pelo mundo afora trazendo suas conseqüências para todos, da maneira mais democrática possível.

Bezerra da Silva em capa de seu disco Malandro Rei - cr;itica social ou confuão entre subversão e contravenção?

Bezerra da Silva em capa de seu disco Malandro Rei - cr;itica social ou confuão entre subversão e contravenção?

Obra de Hélio Oiticica recentimente perdida no incêndio em seu acervo: um bandido morto pela polícia na década de 70, com os dizeres SEJA UM MARGINAL, SEJA UM HERÓI

Obra de Hélio Oiticica recentimente perdida no incêndio em seu acervo: um bandido morto pela polícia na década de 70, com os dizeres SEJA MARGINAL, SEJA HERÓI

Jogos eletrônicos e cinema: constante apologia à violência, apoiada por poderosos lobbies de suas indústrias.

Jogos eletrônicos e cinema: constante apologia à violência, apoiada por poderosos lobbies de suas indústrias.

24-10-09 Posted by | Crônica geral, Denúncia, política | Deixe um comentário

E o mundo parou…

Intermináveis engarrafamentos se repetem a cada feriado - Imagem: FOLHA DE SAO PAULO

Intermináveis engarrafamentos se repetem a cada feriado - Imagem: FOLHA DE SAO PAULO

As imagens de engarrafamento em São Paulo não são novidade há muito tempo, e nesta segunda-feira à noite já era de se esperar que os noticiários mostrassem quilômetros de faróis enfileirados nas estradas, como colunas de vagarosos vaga-lumes emperrados no caminho de volta pra casa. Uma megalópole imobilizada via-se refém da tragédia anunciada que se tornou todo feriado. Entrar e sair da cidade em datas especiais é uma questão de muuuuuita paciência, e logo me veio à mente que a escolha pelo modal rodoviário se mostra cada ano mais burra e insustentável. Para problemas públicos (locomover-se em massa numa cidade saturada) não adiantam soluções particulares (o carro).

Imaginando que houvesse a alternativa do trem (linhas regulares, confortáveis e acessíveis), bastaria que um terço daqueles que saíssem de carro para o sete de setembro escolhessem a ferrovia para que as estradas se tornassem novamente transitáveis.

Foi nas décadas de 60 e 70, do milagre econômico, que o Brasil resolveu copiar e privilegiar o modelo rodoviário – desde então, estradas passaram a ser sinônimo de progresso. Vemos hoje o preço deste progresso, e já é possível imaginar até quando ele será praticável.

E tsanta gente passando fome.... - Imagem: PORTAL G1

E tsanta gente passando fome.... - Imagem: PORTAL G1

Eu já ia me perguntando até quando insistiremos na burrice do automóvel (uma tonelada como motor a explosão pra transportar oitenta quilos), quando foram chegando as notícias do temporal na capital paulista. Não foram só os engarrafamentos que transtornaram a cidade ontem (às dez da noite ainda havia mais de oitenta quilômetros de retenção). Entre outras coisas:

Ruas alagadas ameaçavam a saúde e a segurança dos cidadãos;

Os trens pararam e instalou-se o caos na Estação da Luz, que teve que ser fechada;

O fornecimento de luz foi interrompido em vários bairros;

Telefones celulares e fixos ficaram mudos durante boa parte da tarde;

Trezentas toneladas de frutas foram destruídas na Ceagesp, causando prejuízo de 220 mil reais;

Deslizamentos em Osasco causaram problemas de enorme magnitude, matando crianças e adultos;

Aonde está a prefeitura numa hora dessas? Aliás, aonde estava o poder público quando era sua obrigação prevenir tamanho absurdo, antes que os temporais acontecessem? Aonde está o bom senso e a inteligência, que podem nos guiar para construir cidades minimamente sustentáveis?

Impermeabilizar o chão, vender cada vez mais carros, relegar o transporte público às massas desfavorecidas e permitir que concessionárias de serviço público façam o que bem entenderem certamente não são saídas para manter a viabilidade de uma cidade.

Retrato de uma cidade parada

Retrato de uma cidade parada

O prefeito Gilberto Cassab declarou que o orçamento para limpeza das ruas simplesmente dobrou depois do início de seu mandato. Isso, antes de ser um bom sinal (vejam como eu invisto mais) é mostra de uma administração engessada e reativa. Antes de gastar mais com os remédios, senhor prefeito, que tal investir um pouco na prevenção? Perguntado se a limpeza das ruas está sendo bem feita, o ilustre prefeito ainda teve o desplante de responder: “Deve estar”. Deve???!!! Ou o senhor não tem a menor noção do que está falando ou está gozando com a cara de quem ficou preso em engarrafamentos, sem luz e comunicação o dia inteiro. Sugiro que o prefeito e seus assessores sejam convidados a atravessar a cidade de carro ou de ônibus durante o próximo temporal; certamente, Cassab terá mais certeza na sua resposta, na próxima vez que se o perguntasse tal coisa.

Que os sucessivos descasos e escolhas erradas que levaram São Paulo a tal situação (justiça seja feita, situação esta muito anterior à atual administração) não sejam mais vistos como “coisa normal”; que possam acordar os cidadãos durante o pleito de 2010 e a todas as gerações futuras de brasileiros.

Aos amigos paulistanos, a solidariedade carioca.

Veja mais:

Com chuva fraca, a cidade apresenta 72Km de engarrafamentos.

Centro Virtual de Estudos Ambientais Urbanos – UNESP

Pbl

09-09-09 Posted by | Crônica geral, Denúncia, política | Deixe um comentário

Negócio da China

A China finalmente está ocupando o seu devido lugar nos noticiários – o de nação que viola direitos humanos e o meio-ambiente, explora mão de obra escrava, impõe regime autoritário, alimenta gana capitalista selvagem e evolui na arte de ignorar escrúpulos.

O crescimento em níveis astronômicos por vários anos e a oferta de produtos manufaturados a preços irrisórios para todo o mundo, em escala escancarada, renderam à China muita visibilidade nos últimos tempos, porém a abordagem sempre foi um tanto bajulatória – vejam que grande nação, como cresce, quantos prédios e estradas novas a cada ano, vejam o progresso em seu auge apoteótico…

O regime político autoritário, burro e assassino ainda é tolerado mundo afora; afinal é graças a ele que podemos comprar uma caixa de isqueiros a um dólar para revender em nosso país e aquecer a economia. É a lógica de “os fins justificam os meios” que nos faz vangloriar os bem-sucedidos sem pensarmos nos caminhos trilhados até este discutível “sucesso” – muitas vezes alcançado a custo de mentira, covardia, roubo, sangue. Estamos vendo hoje mais uma faceta deste campo de trabalho escravo que alimenta o mundo, a da colonização através das armas, com total desprezo pela tradição local tibetana. A que ponto chegaram as coisas para que monges se metam em manifestações como vimos!

Na página oficial dos Repórteres Sem Fronteiras (em espanhol) vê-se que o brasão olímpico feito com algemas é utilizado desde o ano passado para denunciar os absurdos daquele país, e o clima promete esquentar em agosto, durante as olimpíadas.

Acredito que esta situação desagradável (não mais desagradável do que a vida que levam muitos chineses sem opções, liberdade ou sonhos) possa contribuir para aumentar a intolerância do mundo em relação às práticas do PC chinês que pretende se perpetuar no poder. Não podemos ficar indiferentes enquanto o respeito à humanidade e a liberdade são sistematicamente estuprados em nome de um crescimento insustentável.

Repressão ampla, geral e irrestrita

Para se ter uma noção do absurdo vivido na China, existe uma prática meditativa, o Falum Gong, que sofre severa perseguição do governo chinês através de campanha difamatória contra seus membros, muitas vezes demitidos de seus empregos, presos, torturados sem direito à apelação ou humilhados em praça pública por policiais.

Dá nó no estomago ler as notícias do Noticiário do Grupo de Trabahos de Direitos Humanos do Falum Gong. São coisas do tipo:

“Advogado Quase Sentenciado a Três Anos de Trabalho Forçado
por Defender um Praticante de Falun Gong na Corte Judicial”
 
“Li Weiji Sentenciado a 8 Anos de Prisão e Espancado até Ficar Paralítico por Ajudar Praticantes de Falun Gong a Coletar Evidências Sobre Abusos”
 
“Tentativa de Assassinato Direcionada a um Defensor dos Direitos Humanos do Falun Gong na África do Sul”

Não digo que devamos boicoar todo e qualquer produto vindo da China, mas francamente enquanto acharmos uma gracinha que aquele país se desenvolva às custas te tanto sangue e arbitrariedade (ou mesmo apenas nos omitirmos), nao poderemos dizer que fazemos algo para tornar este mundo um lugar melhor.

China em sangue

Pbl

27-03-08 Posted by | Crônica geral, Denúncia | , , , , , , , | 2 Comentários